Dam-Break - Estudos de Ruptura Hipotética

Simulações necessárias para o trânsito de cheias, modelagem hidráulica e propagação da onda de ruptura, bem como elaboração de mapas de inundação para considerações no Plano de Ação Emergencial de Barragens

Sobre o Curso

O curso vai apresentar os principais aspectos necessários para a realização das simulações necessárias para o trânsito de cheias, modelagem hidráulica e propagação da onda de ruptura, bem como elaboração de mapas de inundação para considerações no Plano de Ação Emergencial de Barragens. Dessa forma, o curso foi planejado de forma interdisciplinar, permitindo capacitar os profissionais de formações diversas com os conhecimentos técnicos e práticos necessários à gestão de barragens de forma mais eficiente e segura.

Durante o curso, serão utilizadas diversas metodologias, incluindo aulas expositivas, debates e discussões em sala. Também serão realizados exercícios práticos simulando casos reais, através de cases.

Público Alvo

Público Alvo

Este curso se destina a profissionais que atuam ou pretendem atuar em empreendimentos minerários, de hidroenergia ou acumulação de água, sejam eles do setor público, privado ou profissionais liberais, tais como engenheiros, geólogos, biólogos, advogados, gestores e consultores em geral.

Carga Horária

Carga Horária

16 horas/aula

O que vamos abordar

1. Perspectiva sobre os acidentes de barragens

2. Contexto dos estudos de Dam Break (técnico e legal)

3. Objetivos do estudo de Dam Break

4. Resultados e aplicações práticas: estudos hidrológicos no âmbito da bacia hidrográfica de drenagem

5. Síntese metodológica dos estudos de Dam Break

   a.  Hipóteses de ruptura / hidrograma de ruptura

   b. Propagação da onda

   c. Pós-processamento e mapeamento dos resultados

6. Consistência e preparação da base topográfica

7. Imageamento

   a. Qualidade do levantamento

   b. Tratamento do leito

   c.Topobatimetrias

8.Tópicos de Geotecnia

9. Conceito de gerenciamento de riscos da barragem e do vale de jusante

10. Análise de risco qualitativa (FMEA)

11. Análise por Árvore de Eventos (ETA)

12. Concentração de sólidos no rejeito

13. Percentual de volume mobilizado no reservatório

14. Processos de liquefação

15. Modos de Falha

   a. Piping

   b. Galgamento

  c. Falhas estruturais

16. Estudos hidrológicos no âmbito da bacia hidrográfica de drenagem

   a. Modelos chuva-vazão

   b. Trânsito de cheias

17. Estudos de regionalização de vazões máximas (vazões em trânsito no vale de jusante)

   a. Consistência de dados fluviométricos

   b. Método Index-Flood

18. Modelo matemático (Newtoniano x Não-Newtoniano)

19. Modelo computacional

20. Rupturas em cascata

21. Critérios de parada

22. Composição do hidrograma de ruptura

1.Definição de parâmetros de brecha

   a. Modelos fisicamente embasados

   b. Modelos paramétricos

   c. Análise comparativa

2. Consistência da geometria calculada

3. Desenvolvimento da brecha de ruptura

   a. Curva de progressão da brecha

   b. Modelo hidrológico x hidrodinâmico

   c. Condições de contorno

   d. Interpretação dos resultados e hidrograma de ruptura

4. Concepção do modelo conceitual e simulação preliminar

5. Reconstituição da calha fluvial

6. Preparação do modelo geométrico do vale, considerando modelagem 1D e 2D

7. Mapeamento do uso do solo e definição dos parâmetros de resistência

8. Definição das condições de contorno do modelo

9. Mapeamento da inundação máxima

10.Mapeamento do tempo de chegada

11.Mapeamento do risco hidrodinâmico

12.Interpretação dos hidrogramas de ruptura amortecidos

13.Tempo de chegada da inundação

14.Avaliação das envoltórias de inundação

15.Resultados nas seções transversais de interesse

O que dizem por ai

Acreditam em Nós

©Insight Educação Executiva

by nerit